Aspectos sociais na avaliação de impactos de construção de barragens em ambientes fluviais

Carlos Alberto de Oliveira Magalhães Júnior, Joici de Carvalho Leite, Adriano José Ortiz, Tânia do Carmo

Resumo


A acelerada expansão das atividades que visam o desenvolvimento científico e tecnológico é norteada por meio da demanda e produção de energia, fator determinante para a prosperidade econômica e social de uma sociedade. No Brasil, país rico em recursos hídricos, a maior fonte de obtenção de energia elétrica é a utilização de águas fluviais. Nesta perspectiva, a partir da década de 1970 a construção de Usinas Hidrelétricas se tornou prioridade para o governo federal. Várias barragens foram projetadas e construídas em regiões onde moravam diversas famílias. Todas foram desterritorializadas e realocadas em outras regiões. Neste processo, tiveram que deixar junto à área inundada suas histórias de vida, costumes e culturas, para se adequar a nova realidade social. Os impactos sociais proporcionados no processo de construção de uma usina hidrelétrica é o foco deste artigo, que visa refleti-los com base em estudos já realizados por outros estudiosos da área. Vários fatores tanto positivos quanto negativos puderam ser repensados e assim permite-nos compreender alguns aspectos como a importância de envolver as pessoas que irão passar pela desapropriação do local onde moram, dando-lhes maiores e melhores condições de refazer sua reestruturação social.

Palavras-chave: recursos hídricos, desterritorialização, reestruturação social.


Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, C. S.; ZALEWSKI, M. A planície alagável do alto rio Paraná: importância e preservação. Maringá: Eduem, 1996.

AGOSTINHO, C. S.; GOMES, L. C.; PELICICE, F. M. Ecologia e manejo de recursos pesqueiros em reservatórios do Brasil. Maringá: Eduem, 2007.

AGUILAR, G. T. Avaliação de Impacto Social e proposição de medidas mitigadoras – Compromisso com a Responsabilidade Social, PCH Notícias & SHP News, Ano: 8 / Set./Out./Nov., 2006.

BRASIL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Atlas de energia elétrica do Brasil. Brasília : Aneel, 2008. p. 236p.BRASIL, Ministério de Minas e Energia. Resenha Energética Brasileira: Exercício de 2014. Brasília-DF, 2015. Disponível em: http://www.mme.gov.br/documents/1138787/1732840/ Resenha+Energ%C3%A9tica+-+Brasil+2015.pdf/4e6b9a34-6b2e-48fa-9ef8-dc7008470bf2. Acesso em: 29 de jun. de 2016.

BRASIL. Projeção da demanda de energia elétrica para os próximos 10 anos (1015-2024). Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www.epe.gov.br/mercado/Documents/DEA%2003-2015-%20Projeções%20da%20Demanda%20de%20Energia%20Elétrica%202015-2024.pdf. Acesso em: 03 Julho 2016.

CARDOSO, E. T. S. Avaliação do grau de trofia e da qualidade da água de um braço do reservatório de Itaipu – Brasil. 2011. 144 p. Dissertação de Mestrado. UFABC – Santo André, 2011.

COLITO, M. C. E. A construção de usinas hidrelétricas e os impactos sobre a população e o espaço: comunidades rurais ameaçadas pela U.h. de Jataizinho – Rio Tibagi/Pr. Serviço Social em Revista. v.2, n.2. 2000.

COUTO, R. C. S.; SILVA, J. M. As questões de saúde no estudo de impacto ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico Belo Monte. . In: Painel de Especialistas: Análise Crítica do Estudo de Impacto Ambiental do Aproveitamento Hidrelétrico de Belo Monte, International Rivers, 2009, p. 81-90.

DERROSSO, G.S.; ICHIKAWA, E.Y. A Construção de uma usina hidrelétrica e a reconfiguração das identidades dos ribeirinhos: um estudo em Salto Caxias, Paraná. Ambiente & Sociedade, v. XVII, n. 3, p. 97-114 n jul.-set. 2014.

FIGUEIRÊDO, M. C. B. et al. Avaliação da vulnerabilidade ambiental de reservatórios à eutrofização. Eng. sanit. ambient. V..12 - nº 4 - out/dez 2007, 399-409.

IHA (International Hidropower Association). Diretrizes de Sustentabilidade. Fev. de 2004. Disponível em: < http://www.hydropower.org/downloads/IHA%20Sustainability%20Guidelines_PORTUGUESE.pdf> Acesso em: 26 de jan. 2009.

MAGALHÃES, S.; MARIN, R. A.; CASTRO, E . Análise de situações e dados sociais, econômicos e culturais. In: Painel de Especialistas: Análise Crítica do Estudo de Impacto Ambiental do Aproveitamento Hidrelétrico de Belo Monte, International Rivers, 2009, p. 23-35.

MENDES, N.A.S. As usinas hidrelétricas e seus impactos: os aspectos socioambientais e econômicos do Reassentamento Rural de Rosana - Euclides da Cunha Paulista. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia – FCT/UNESP, Campus de Presidente Prudente, 2005.

PERIUS, M.R.; CARREGARO, J.B. Pequenas centrais hidrelétricas como forma de redução de impactos ambientais e crises energéticas. Ensaios e Ciência, Ciências Biológicas Agrárias e da Saúde, v. 16, n. 02, 2012.

QUEIROZ, A.R.S. Análise dos impactos sociais de grandes empreedimentos hidrelétricos: o caso do AHE Belo Monte”. 2011. 74f. Dissertação (Mestrado). Escola Nacional de Saúde Pública, Sergio Arouca (ENSP), Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro. 2011.

QUEIROZ, A. R. S.; MOTTA-VEIGA, M. Análise dos impactos sociais e à saúde

de grandes empreendimentos hidrelétricos: lições para uma gestão energética sustentável. Ciência & Saúde Coletiva, n. 17, v. 6, 2012, p.1387-1398.

REBOUÇAS, A.C.; BRAGA, B. Ecossistemas de Águas Interiores. In. REBOUÇAS. A.C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J.G. 2002. Águas Doces no Brasil – Capital Ecológico, uso e Conservação. São Paulo: Escrituras, 2002. 704p.SANTOS, T.; SANTOS, L.; ALBUQUERQUE, R.; CORRÊA, E. Belo Monte: impactos sociais, ambientais, econômicos e políticos. Revista de la Facultad de Ciencias Económicas y Administrativas.Universidad de Nariño. v. 13, n. 2. Jul./Dez. 2012, p.214-227.

SOARES, V.R. Impactos Sociais causados pela construção de hidrelétricas em populações ribeirinhas na zona da mata mineira: o caso específico da Usina Hidrelétrica Candonga – Rio Doce/Santa Cruz Escalvado – Minas Gerais. Monografia (Ciências Sociais) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2009.

TAKEUCHI, K. Least marginal environmental impact rule for reservoir development. Hydrological Sciences Journal, v.42, p. 583-597. London, UK, 2009. Disponível em:

doi/abs/10.1080/02626669709492055> Acesso em: 01 de jul.2016.

THAUMATURGO, L. R. Y.; SIMÕES, S. J. C.; TRANNIN, I. C. B. A construção da usina hidrelétrica de Itaipu e seu impacto sobre a urbanização de Foz do Iguaçu. In: XVI SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO - SBSR, 2013, Foz do Iguaçu, Anais ... Foz do Iguaçu, 2013. P 983-990. Disponível em: < http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/files/p1519.pdf >. Acesso em: 01 de jul. 2016.

UHE – SÃO MANOEL. Relatório de Impacto Ambiental: RIMA. 2011. Disponível em: . Acesso em: 04/07/2016.




DOI: https://doi.org/10.22408/reva1120161147-158

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Flag Counter

Revista Valore 
ISSN: 2525-9008