A Literatura Indígena em São Gabriel da Cachoeira-AM: diálogo interdisciplinar com a História de ocupação do Alto Rio Negro.

Carlos Antonio Pereira da Silva, Vera Lúcia Teixeira Kauss, Joaquim Humberto Coelho de Oliveira

Resumo


A Literatura Indígena escrita é uma forma de concretização das histórias dos povos nativos que aqui habitam há mais de 500 anos. Ela é, também, o eco das suas vozes contra a omissão em relação aos cuidados com a natureza e contra a desigualdade que vivenciam desde o início da colonização do Brasil. A estreia da literatura escrita pelos indígenas é recente no mercado editorial, mas já marcou presença enquanto instrumento de luta e de ação política na conquista dos direitos que lhes foram tirados pelos colonizadores. Em São Gabriel da Cachoeira, entre lendas das culturas das etnias Tukano, Baniwa, Yanomami, entre muitas outras, lideranças indígenas expandem essas vozes, como na poesia do cacique tukano Manuel Fernandes Moura. Outros escritores indígenas fazem parte desse texto: Graça Graúna, Daniel Munduruku, são exemplos. Na imagem que descreve os povos e a pluriculturalidade, aparece São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, como um espaço onde convivem os indígenas, os militares, os comerciantes e os imigrantes de forma que garanta a sobrevivência de todos. Este artigo tem o objetivo de dar a conhecer esse lugar através do olhar de um de seus autores que lá vivenciou uma experiência no magistério muito enriquecedora e inesquecível.

 


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Luan. “São Gabriel da Cachoeira (AM) – As margens do Alto Rio Negro”. IN: Revista Observatório Digital – 2010. Disponível em: http://www.itaucultural.org.br/bcodemidias/0011516.pdf. Acesso em 10/12/14.

BAUMAN, Zygmunt. Identidades. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado 1988. Disponível em www.planalto.gov.br. Acesso em 10/12/14.

CASTORIADIS, Cornelius. A Instituição Imaginária da Sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985, p.

GERSEN, José dos Santos Luciano. “Povos indígenas e etnodesenvolvimento no Alto Rio Negro”. In: ATHIAS, Renato e PINTO, Regina Pahim, orgs. Estudos Indígenas – Comparações, Interpretações e Políticas. Série Justiça e Desenvolvimento/IFP-FCC. São Paulo: Contexto, 2008. Disponível em: http://www.fcc.org.br/conteudosespeciais. Acesso em 08/12/14.

GRAÚNA, Graça. “Literatura: Diversidade Étnica e Outras Questões Indígenas”. In: Todas as Musas. Ano 05, número 02, jan-jun 2014. Disponível em: http://www.todasasmusas.org. Acesso em 10/12/14.

_____________. Literatura Indígena: desconstruindo estereótipos, repensando preconceitos. Disponível em:

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz T. da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: Ed. Lamparina, 2014.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Trad. Irene Ferreira et al. 4ª ed. CAMPINAS: Ed. Da UNICAMP, 1996.

MUNDURUKU, Daniel. “Literatura Indígena e as Novas Tecnologias da Memória”. In: Leetra Indígena – Revista do Laboratório de Linguagens da Universidade Federal de São Carlos. São Carlos-SP: 2012, p.




DOI: https://doi.org/10.22408/reva1220174991-102

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Flag Counter

Revista Valore 
ISSN: 2525-9008